Áreas de Atuação

Fonoaudiologia Integrativa




A Fonoaudiologia é uma ciência praticada no Brasil desde 1967, quando surgiram os primeiros cursos em universidades como USP e PUC.

Felomenia Pinho é bacharel em fonoaudiologia pela PUC/SP, buscando agregar outros conhecimentos através de:

Reiki (Plínio Cutait), Shiatsu/DO-IN (Elisa Cattoni), Psicologia e Teorias Psicanalíticas (Elisa Cattoni), Fonoaudiologia e Estética (Magda Zorzella e Patrícia Faro), Fonoaudiologia Clínica (Aperfeiçoamento na Santa Casa de São Paulo e no Hospital Servidor Municipal de São Paulo), Audiologia Educacional (Derdic-PUC/SP), Reeducação do Movimento (Ivaldo Bertazzo), Aperfeiçoamento em Eutonia (Marcia Bozon - Sedes Sapientae/ São Paulo), Neurologia (Dr. Antonio Morato), Pedagogia da Eutonia (Instituto Gerda Alexander/Brasil) e Fonoaudiologia Educacional (Colégio Elvira Brandão/SP).

O seu maior prazer como fonoaudióloga integrativa é associar os conhecimentos adquiridos, valorizando a Beleza Natural que todos possuem através da conscientização do movimento facial e do restante do corpo. Isto potencializa a capacidade comunicativa da pessoa com o mínimo de esforço.

A Eutonia agregou conhecimento à Fonoaudiologia que ela pratica, porque a primeira visa o equilíbrio tônico e postural com a flexibilidade necessária nas diversas situações vividas pelo ser humano, enquanto a segunda traz o conhecimento em profundidade das funções neurovegetativas (mastigação, deglutição, sucção, sopro, sorrir, falar, respiração, uso da voz).

Atualmente, as pessoas gastam muito tempo e energia em situações da vida diária. Suas práticas clínicas, o ambiente escolar e o meio empresarial, lhe trouxeram a certeza de que a Eutonia e a Fonoaudiologia se complementam e, deste encontro, chegou à conclusão que pratica uma Fonoaudiologia Integrativa, ou seja, uma Fonoaudiologia em que a pessoa percebe o que, como e porquê faz um movimento facial e/ou corporal, modificando a cada dia o que identifica como necessário para uma harmonia na expressão. É o que a Eutonia chama de estado de presença. Assim, a pessoa assume e cuida do seu corpo, fazendo os ajustes que o terapeuta possibilita ao aluno identificar através dos movimentos do tocar partes do corpo, do contato com objetos (como bolinhas, bambu, semente, etc), do observar-se em várias situações diárias (dentro e fora do contexto terapêutico) e do refinamento da percepção.

Aos poucos, a pessoa diminui os esforços, utilizando somente a força necessária para respirar, falar, deglutir, rir, mastigar, entre outros.
O estresse diminui porque se gasta somente a energia necessária para cada função da vida diária e a pessoa passa a habitar o seu ser de forma integral e prazerosa.

Felomenia Pinho Bacharel em Fonoaudiologia pela PUC/SP (1988) | CRFa. 2-4982 Membro da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

Trabalhos

Comunicação, Terapia Corporal, Fonoaudiologia

O que é Eutonia

Baseado no livro "Eutonia: um caminho para a percepção corporal" (Gerda Alexander) e nas minhas reflexões.
Eutonia recebeu este nome em 1957 pela Gerda Alexander para expressar a ideia de um corpo com tônus harmonioso através de uma maior consciência corporal e espiritual. O corpo e a mente se ajustam à realidade da vida diária. Isto ocorre tanto em nível consciente como insconsciente, sendo percebido pela respiração, pela voz, pelas atitudes e movimentos da pessoa. Para tanto, faz-se necessário um estado de observação profunda ao que chamamos"estado de presença". É necessário neutralidade de observação e amplitude de objetivos.
Primeiro observa-se a imagem que a pessoa tem do seu corpo humano. Assim, a primeira meta é despertar a sensibilidade da pele para recuperar a imagem do corpo. Daí, pode-se desenvolver a consciência do espaço corporal (músculos, órgãos e estrutura óssea).
O tratamento eutônico é determinado pelo estado de tensões e fixações: alterações na respiração, o pulso, a circulação, os movimentos oculares, o reflexo de deglutição e as transformações faciais. Mudanças de tônus conduzem a um equilíbrio tônico e postural, promovendo melhoras psicofísicas (vide casos de gagueira, quadriplegia, neuroses, etc).
Eu percebo que as atitudes e a linguagem do praticante de Eutonia se modificam e se ampliam dia-a-dia, ganhando profundidade, leveza e cada vez mais presença. Por exemplo, caminhar na areia com uma percepção eutônica é sentir e perceber o contato dos pés desde a região posterior até os dedos, se pisamos com o peso nas laterais externas ou internas, com uma pulsão anterior ou posterior, com maior rapidez ou lentidão, marcando mais ou menos os pés na areia (ou com mais força ou leveza), etc. Ou ainda, olhar para o mar e observar os seus contornos como um desenho: as pedras, as árvores, as conchinhas, a cor da areia e sua textura, a cor e a temperatura da água, os pássaros, o sol, a lua,as nuvens,...enfim, tudo o que compõe este cenário.
O estar eutônico é o aquietar a mente para perceber a si e a tudo o que nos cerca, "o que nos toca e o que tocamos, o contato".


PARA MAIS DETALHES, ENTRE EM CONTATO
A sua comunicação interfere na estética facial?
Você apresenta mímicas faciais exageradas e repetitivas?
Qual é a relação do seu bem-estar com o tônus corporal?
Você percebe o efeito das suas emoções no seu corpo e na sua face?
Dificuldades no uso da expressão facial podem acentuar os vincos e as rugas.
Os hábitos orais, mastigar, falar, respirar e sugar também interferem nas marcas deixadas pelo tempo no seu rosto.
Como você usa os músculos da sua face?

Os movimentos corporais podem ser aprimorados, equilibrando o tônus e a postura corporal!

nosso CONTATO

Entre em Contato